Robótica é construção, programação e muita diversão

Janeiro 15, 2017

Desde que me envolvi no universo da robótica aplicada à educação, descobri uma poderosa ferramenta de aprendizado e desenvolvimento de habilidades.

A cada dia eu e minha equipe nos sentimos mais motivados a criar experiências instigantes e divertidas para nossos alunos.

Nas aulas de robótica o aluno vivencia na prática a construção de conteúdos que muitas vezes aprendem somente na teoria. Assim, na construção e programação de protótipos é possível experimentar ciência, física, matemática, mecânica, entre outros “saberes” indispensáveis para a formação do aluno.

De forma paralela, neste mesmo processo, ocorre o desenvolvimento de habilidades como a empatia, liderança, pensamento estratégico, capacidade de trabalhar em equipe, entre outros.

Para que tudo isso aconteça é possível que você esteja pensando que as aulas são complexas e envolvem uma metodologia que acaba entediando o aluno. Pois é exatamente o contrário. E neste paradoxo reside o que mais me encanta na robótica aplicada à educação: as aulas são extremamente envolventes e “simples” aos olhos de nossos alunos.

Um exemplo disso é a aula ministrada aos alunos de uma de nossas turmas.

Levamos os alunos a imaginar as dificuldades e desafios enfrentados pelos trabalhadores envolvidos no empreendimento e toda tecnologia necessária para o funcionamento de um bondinho.

Em uma de nossas aulas, estudamos o Brasil, conversamos um pouco sobre nossa diversidade cultural e as cinco regiões. Seguimos nosso papo (sim, pois é em forma de bate-papo que a introdução dos conteúdos acontecem), conversando sobre alguns importantes pontos turísticos de nosso país. Chegamos então ao Rio de Janeiro, a nossa “cidade maravilhosa”. Neste caso, não podíamos deixar de evidenciar o Cristo Redentor e o Bondinho do Pão de Açúcar como dois pontos turísticos imperdíveis no Rio de Janeiro. Conversamos sobre como a engenharia e a habilidade do ser humano foi capaz de criar tais maravilhas.

Levamos os alunos a imaginar as dificuldades e desafios enfrentados pelos trabalhadores envolvidos no empreendimento e toda tecnologia necessária para o funcionamento de um bondinho. Por fim, chegamos ao desafio: construir o Cristo Redentor e o Bondinho do Pão de Açúcar. Aspectos técnicos como uso de roldanas, polias, experiências de peso foram abordados.

Construção realizada, era hora da diversão. Vamos colocar o bondinho para fazer seu trajeto.

Pacientemente o professor coloca um barbante de ponta a ponta na sala de aula. Um dos alunos coloca os passageiros no bondinho (neste caso, os bonecos do Star Wars…Darth Vader passeou…) e a mágica acontece. O bondinho caiu, foi necessário remontar as partes danificadas, analisar as falhas cometidas, rever a estrutura.

Construção realizada, era hora da diversão. Vamos colocar o bondinho para fazer seu trajeto.

Por fim, o passeio aconteceu.

Mas não foi só o passeio. A brincadeira aconteceu. Risadas foram escutadas daqui da minha sala de trabalho. Neste momento, percebemos que todo planejamento, estudo e preparo necessário para que uma simples aula seja ministrada são recompensados com a certeza de que não foi uma simples aula. Foi uma “experiência de aprendizagem”.

Assim é a robótica, uma poderosa ferramenta de aprendizagem… e aprender pode e deve ser divertido!!!